Líder do PT quer explicações do Governo sobre militar infiltrado em manifestação

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputadoAfonso Florence (BA) ocupou a Tribuna na terça-feira (13) para cobrar explicações do presidente ilegítimo Michel Temer sobre as denúncias de que um capitão do Exército estava infiltrado nas manifestações anti-Temer ocorridas no último domingo, em São Paulo. Para o líder, este é um fato “muito grave” da vida política brasileira.

Afonso Florence disse que o PT deverá apresentar um requerimento de convocação do ministro da Defesa do governo Temer, Raul Jungmann, cobrando esclarecimentos do ocorrido. “ É determinação do ministro Raul Jungmann a infiltração de um militar do Exército nas manifestações? Quem é responsável por essa grave infração à lei? Quem é responsável por esse ataque à democracia? Esse governo ilegítimo não pode transformar em regra esse desvio, que, entendemos, deve ter sido um excesso de alguém — pode ser uma iniciativa individual —, mas tem que ser apurado, não pode passar em branco. Tem que ser levada a cabo uma investigação.

O governo deve satisfação ao povo brasileiro”, ressaltou o líder do PT.

Lembrou o deputado Florence que jovens que estavam se dirigindo à manifestação foram presos, conduzidos a uma delegacia e um dos presos não chegou à delegacia. “Órgãos da imprensa investigativa denunciaram que era um capitão do Exército infiltrado. Isso não é regra na democracia. Tenho convicção de que não há orientação dos dirigentes das Forças Armadas para infiltrar um coronel do Exército, um militar, em manifestações”, disse.

O líder petista reiterou que o país está perplexo e cobrou explicação do governo ilegítimo de Michel Temer. “Nós, do Partido dos Trabalhadores e a consciência democrática brasileira, queremos que o governo se pronuncie, em particular o Presidente, que não tem voto, mas tem que prestar contas para a democracia brasileira. Foi o Presidente da República que determinou a infiltração de um militar do Exército nas manifestações?”, questionou.

Entenda – Apontado como infiltrado num grupo de manifestantes anti-Temer, que acabou preso em controversa ação da polícia em São Paulo, no domingo, Willian Pina Botelho, que se apresentava nas redes com o nome de Balta Nunes, é capitão do Exército. Balta Nunes é Bacharel em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras e mestre em Operações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Em 2013 publicou um artigo na revista A Lucerna, uma publicação da Escola de Inteligência Militar do Exército sobre a inteligência em apoio às operações no ambiente terrorista. Segundo o portal da Transparência, o militar está na ativa desde 1998, o que significa que não se afastou das funções para se infiltrar entre os manifestantes.

Gizele Benitz