Estados Unidos buscam apoio na Europa para golpe na Venezuela

Ajude a manter o site no ar

Banner Delegado Federal 728x90 facaumadoacao


 

Silvino Castrillo/MPPE

 Na Venezuela o povo se mobiliza em defesa da paz e da Constituinte, enquanto EUA e direita tentam golpe Na Venezuela o povo se mobiliza em defesa da paz e da Constituinte, enquanto EUA e direita tentam golpe

“Quando atuamos sozinhos, podemos atuar apenas sob nossa jurisdição, mas se as sanções forem apoiadas pelos parceiros, serão mais efetivas”, indicou, segundo notícia deste sábado (1º/7) veiculada pelo canal de TV venezuelano Globo Visión.


Fahmy sublinhou que a Administração do presidente estadunidense, Donald Trump, acompanha de perto a “deterioração da situação humanitária e de direitos humanos” na Venezuela.

Por outro lado, Fahmy explicou que a Casa Branca não quer “prejudicar o povo venezuelano”, apesar de todos os seus esforços para aumentar a pressão e as medidas punitivas contra o país sul-americano.


Estas declarações foram feitas dias depois que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, fez um acordo com seu colega espanhol, Alfonso Dastis, na quinta-feira (29 de junho), para aumentar a pressão sobre a Venezuela para que esta “volte a ser uma democracia”.

Em 18 de maio, Washington anunciou um novo pacote de sanções contra 8 magistrados do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela, aos quais acusava de usurpar as funções da Assembleia Nacional (AN), controlada pela oposição.


Foi a segunda rodada de sanções contra titulares de altos cargos do país desde que Trump assumiu a presidência dos Estados Unidos.

Por sua parte, as autoridades de Caracas denunciaram mais uma vez as políticas de ingerência da Casa Branca, a quem acusam de ordenar a direita venezuelana a destruir o país bolivariano mediante um golpe de Estado.

Fonte:  Resistência, com HispanTV

Publicidade

JPG Genérico 468x60
  • Alberto Cruz

    Como dice el proverbio a la tercera tiene vez y es que Cuba tentó invadir Venezuela 2 veces y apenas consiguió a la tercera. Llama la atención que siempre mencionan a Estados Unidos como posible invasor y sobre Cuba están callados.